quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

A Gafe dos Simpsons



Na nova temporada da série, o pai da popular família norte-americana convence seus amigos de que seus vizinhos vindos do Oriente Médio planejam explodir um centro comercial de Springfield.

Homer descobre mais tarde que Amid, o chefe da família muçulmana em questão, trabalha para uma companhia de demolição.

Quando Homer convida a família vizinha para um jantar, demonstra sua ignorância em relação ao Islã, chamando Alá de "Oliver" e Alcorão de "A Coroa".

Um porta-voz do Centro Cultural Islâmico e da Mesquita Central de Londres acusou o programa de incentivar o preconceito contra o islã e recomendou que os muçulmanos não assistissem à série.

Já o criador de "Os Simpsons", Matt Groening, defendeu o novo episódio ao dizer que os desenhos "trabalham com estereótipos" e "nós tratamos de ser sensíveis a respeito".

Já não é a primeira vez que os Simpsons provocam algum tipo de constrangimento devido algum tipo de estereotipo preconceituoso. Em 2003 foi a nossa vez, que fomos satirizados. No O episódio em que a família Simpson vem ao Brasil, atrás de um garoto órfão chamado Ronaldo.

O episódio em si comete vários erros grosseiros (os brasileiros falam com sotaque espanhol, a Amazônia é vizinha do Rio e as pessoas andam em filas de conga pelas ruas), o episódio pinta uma imagem nada desejável do Rio de Janeiro (quando um taxista não-licenciado seqüestra Homer, há cobras e macacos nas ruas). E evidência a sensualidade dos programas infantis da TV (quando mostra o "Telemelões", em que uma apresentadora loira balança e gira os seios para as câmeras), entre outras coisas.

Eu conheci muito gringo que tem essa mesma imagem do Brasil, acha que só existe favela, que nós somos um povo ainda primitivo. Tem muito gringo ignorante, que não sabe diferenciar a realidade de uma sátira.

Esse tipo de estereotipação não ocorre só nos Simpsons, no desenho Pica-Pau também acontece isso. Pode ver quando foi que os personagens representados pelos mexicanos levaram vantagem? Os mexicanos em si são sempre taxados como ignorantes, já o pica-pau é o esperto e sempre consegue engana-los de alguma forma.

Eu sei que no Oriente Médio existe o Hamas, Al-Qaeda, Talibãs e que no Brasil tem violência. Mas daí fazer um episódio mostrando somente o lado negativo de um povo já é demais. Para um país que vive de especulação financeira, não pode ter esse tipo de postura.

Em nenhum momento pode-se generalizar, os mulçumanos já são discriminados pelo mundo, justamente pelo fato de muita gente associar a imagem com terrorista, pensando que a qualquer momento pode explodir algum colete de dinamite colado em seu corpo. Não é porque é brasileiro, que vai ser ladrão ou traficante, existe gente boa e gente ruim em qualquer canto do mundo, inclusive na terra do tio san.

Eu sempre me perguntei o porquê de o personagem Blanka do jogo Street Fighter, era representado por um macaco verde que fica grunindo.

Eu posso até estar exagerando um pouco em relação ao jogo, pois muitos agradassem a Capcom (Fabricante do Jogo), em ter usado o Blanka para homenagearmos. Mas um macaco que fica pulando na selva amazônica? Acho que poderiam ter caprichado mais nessa homenagem.


Fonte: Folha on-line

18 Comments:

Vivi Diniz said...

Eu sou uma pessoa totalmente contra o preconceito e ou cia,... no entanto nao vi mal algum em fazerem um episodio nos simpsons sobre mulçumanos.. acredito que depende de cara um saber o que ali é somente um historinha para divertir e dar dinheiro... no episodio do brasil... bem fomos mesmo mal vistos, mas eu ainda ri no episodio.. talvesz tenha mesmo um humor negro.. mas tbm com os erros deles é dificl alguem levar a serio o que mostraram daqui...

beijos
byy

Janine said...

Bom as piadas dos simpsons são sim sacadas muitointeligentes, semestre passado apresentei um trabalho sobre eles na faculdade. Recebi uma boa nota. Sempre que resolvem cutucar um povo, um país ou umccultura em específico todo mundo se diverte e acha graça, mas quando se vira o centro das piadas ninguém nuca gosta. Se não me engano o episódio sobre o brasil tb foi censurado por aqui, só assisti pq meu namorado baixou. Lembro que ri bastante quando eles foram a Índia e China, Episódios bem pesados se for analisar o lado antropológio da coisa, agridem sem medo nenhum os usos e costumes de um povo, que dirá os esteriotipos que os americanos insistem em difundir sobre o resto do mundo...

Alexandre Silva said...

Acho que o episódio do Brasil nada mais é do que uma caricatura bem-humorada. Como já até vi gente falando: "quem dera se o Rio de verdade fosse como o Rio dos Simpsons", pq ele é bem pior. Os próprios brasileiros que passam essa imagem, eles mesmos denigrem a imagem de seu próprio país, e quando um estrangeiro toca na ferida o povo tem um acesso de patriotismo hipócrita só visto em época de Copa do Mundo.
Quanto ao Islã, é a visão que todo americano tem sobre eles. Qualquer "Homer" americano se comportaria da mesma forma, concordo com o Matt Groening: "é um estereótipo". Eles zoam até eles mesmos! Dizer que um episódio dos Simpsons influencia algo é duvidar da inteligência humana... (se bem q isso tá fácil hj em dia)

Abraço
http://falandoprasparedes.blogspot.com

felix said...

[modo ironia]Se eu fosse do Oriente Médio não faria isso, não. Mandaria explodir através de homenn-bombas os estúdios onde são feitos esses desenhos[modo ironia off]!!!

Marcelo said...

Acho que entender os Simpsons demanda uma leitura mais ampla de mundo. É um desenho de exageros. Homer é o estereótipo do americano classe média alienado e tudo que vem dele soa como uma crítica do reverso. Algo como “olha como Homer é ignorante”. Isso faz rever postura. Assim o é em desenhos como Family Guy e American Dad. Mas o problema é que as pessoas não conseguem ver essa crítica do absurdo expressa nos desenhos e entendem tudo no sentido próprio da coisa.
Abraços

Marcelo

Crônicas de Safira said...

Concordo plenamente com vc!!

imagem super errada!!!

adorei! beijao

jaka said...

acho q o Groening tem liberdade pra satirizar o que ele quiser, se eh certo ou errado, cada um fale por si, ele nao persegue apenas os paises do terceiro mundo ele brinca com todos que dão uma boa piada, nunca vou esquecer dos episodios q ele brinca com nova york, e o episodio que ele brinca com o artista plastico Jasper jonhs, espero que continue por muitos anos ainda,

Juka said...

trabalha com esteriotipos mas exagera demais. O episodio que veio pro Brasil foi engraçado mas foi uma puta sacanagem nós, brasileiros, como sempre eles querem deixar o Eua hegemônico ¬¬

A familia Simpsons é o retrato de todos (ou quase todos) os americanos ¬¬

Groo said...

Acho que é essa mesma a proposta dos Simpsons. O sagrado "american-way-of-life" também é satirizado o tempo todo nos desenhos. Natural que ao referir-se a outros países eles procurassem utilizar a mesma fórmula. França, Canadá e Inglaterra também já "sofreram" nas mãos dos personagens de Matt Groening.

Por outro lado, os estereotipos são comuns em HQ's, séries e filmes. Com os Simpsons funciona bem, porque representa a visão do "Homer", especificamente. O Homer é o americano médio, comum...que confunde Alcorão com Coroa e acha que a Amazônia fica na Argentina, etc. Por curiosidade tente ler algumas HQ's de Super Heróis dos anos 60 e 70 e vejam o que pensavam dos russos e chineses...hehehehe! ( aí é o estereotipo com objetivo político-doutrinário. E depois falam dos comunistas!)

abs!

simple_chi! said...

acho que no epísódio em que homer demonstra prenconceito em relação ao islã, a graça consiste na sua ignorância, não estão mostrando nada que é assim que o islã é. agora, o episódio em que aparece várias coisas ridículas sobre o brasil é diferente, foi uma falta de estudo conhecimento e pesquisa do autor do episódio!! o mínimo que ele deveria fazer é ir ao brasil ou procurar na internet como o país realmente é, e então eles pdoeriam fazer piadas mesmo que "ofensivas", os próprios brasileiros não fazem?? eu já ouvi várias vezes aquela em que deus faz um país perfeito só que com as pessoas erradas, ou aquela em que o relógio do cara é roubado ao passar pelo brasil, e deveríamos realmente pensar se podemos culpar os estrangeiros pela visao que têm do nosso país!! vamos ver a taxa de analfabetismo do brasil, sem falar naqueles CONSIDERADOS alfabetizados mas que cometem erros de concordância entre outros erros graves em sua própria lingua!!!!! e não é só isso, e as pessoas ricas ou de classe média que só querem saber da europa ou dos Eua?? eu estudo em uma escola de classe media alta na vila madalena em sao paulo sp, e diria que pelo menos 30 por cento das pessoas que conheço "veneram" o estados unidos, nao conhecem realmente como é mas acham o máximo!! "a isso simm é um país de primeiro mundo", muitos brasileiros tem muito preconceito em relaçao ao seu proprio pais!!! tenho amigos que conhecem a europa inteira, mas nunca foram ao nordeste do brasil, nunca foram à amazônia, nunca visitaram o sul!! como podemos culpar os estrangeiros quando nós mesmo não temos interesse em nossa naçao???

a escola onde estudo é uma das unicas entidades desse pais que pode preparar um verdadeiro cidado, digo, é uma escola particular, e sao poucas dessas que sabemos que podem preparar um cidadao!! as publicas nos temos certeza de que no maximo 1 por cento dos alunos vai sair de lá com cabeça!! e metade dessas pessoas que eu conheço, que podem pagar pelo ensino particular, sonha em sair do brasil e morar na europa ou nos eua!!! como podemos fazer os outros respeitarem o nosso pais se nos mesmos o abandonamos??????

Kaline Vieira said...

Sinceramente acho ridículo todos esses filmes, desenhos, documentários e etc que focam apenas nessa parte de um povo. Independente de quem criou, se foi os EUA ou a Rússia... TODOS os povos tem o lado preconceituoso e violento, então pq se passar por civilizado e bonzinho colocando a atenção do mundo para o país do lado? Ninguém está livre disso, mas esse fato não diz que só isso deve ser mostrado, muito pelo contrário. Mostrando o lado bom, a cultura, os valores da civilização é que vamos aprender a respeitá-la, com o tempo conhece-la e deixarmos com esses preconceitos bobos que nos dominam.

Junior said...

MEW os simpsons sao assim
umm esboço do que os americanos pensam
eu assito sempre e me divirto
melhor serie de todos os tempos

Junior Silva said...

Vale lembrar que o criador também estereotipa os próprios norte-americanos.
Mesmo assim acho que Os Simpsons já estão ficando desgastados.

Juliano Jacob said...

Primeiro: Em todos os aspectos, a crítica maior do seriado é relacionada à idiotice da sociedade norte-americana... Se vez ou outra alguma nação se sente prejudicada pelo estereótipo, imaginem como os norte-americanos se sentem sendo criticados durante 18 temporadas seguidas em absolutamente todos os eposódios?...
Segundo: Sou contra qualquer tipo de influência de autoridades competentes em qualquer forma de manifestação artística (salvo em caso de produtos infantis)
Terceiro: Se alguém cria uma obra fictícia que é mal-entendida, o problema definitivamente não é da criação, e sim com a falta de esclarecimento de quem a vê.
Quarto: Liberdade de expressão sempre e acima de tudo.

Juliano Jacob said...

Cara, as visitas aqui valem cada clique... Sem demagogia...

Pelirroja said...

O desenho em si é uma crítica ao American Way of Life. Eu ri bastante com o episódio sobre o Brasil, apesar das grosserias.

Creio que essa visão equivocada acontece com vários países...Defendo a liberdade de expressão, mas acontece é as pessoas é tiram suas conclusões (preconceituosas) baseadas apenas em programas de televisão.

Beijos!
Bom final de semana!
;*

Marcus Alencar said...

O desenho Simpsons fez sucessos assim trabalhando os esterótipos fortemente usados na sociedade americana, por esse motivo corre-se o risco de passar dos limites e exagerar como aconteceu nesses casos e em tantos outros de desenhos animados. Há o fato, temos que ressaltar, de que esse humor criticar ao expressar, como num espelho, o comportamento e pensamento dos americanos diante do diferente em outros países e do que convive junto com eles.

Foi citado o personagem Blank do SF, e isso me faz lembrar que dentro da história do jogo ele não era brasileiro e sim um soldado americano que acabou sendo usado em experiência genética e que abraçou nossa cultura, isso tudo numa adaptação das histórias do jogo para HQ. Mas de qualquer forma é horrivel a idéia, lembro-me que tinha um personagem jamaicano negro que jogava capoeira em outras versões do jogo, porque esse tipo não poderia ser brasileiro, né? Afinal, a capoeira é muito popular aqui.

Leo Pinheiro said...

Groening trabalha principalmente com o esteriótipo da ignorância do americano, que olha só para seu umbigo.

Aí reside a piada. Sobre a visão deturpada dele próprio do mundo.

Não me senti ofendido no episódio sobre o Rio. O ridiculo do episódio não foi minha cidade, mas a visão tosca de Homer.

Só o idiota do FHC não entendeu e , na época, quis aparecer falando no mesmo boicote ridiculo que ora os mulçumanos falam em fazer, mas que só fortalecem o programa!

BlogBlogs.Com.Br