sábado, 6 de setembro de 2008

Fome de Amor


Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: 'Digam o que disserem, o mal do século é a solidão'. Pretensiosamente digo que assino embaixo sem dúvida alguma. Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias.

Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas e saem sozinhas. Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos.

Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos 'personal dance', incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvida?

Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão 'apenas' dormirem abraçados, sabe essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega. Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção.

Tornamo-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a 'sentir', só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós. Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos ORKUT, o número que comunidades como: 'Quero um amor pra vida toda!', 'Eu sou pra casar!' até a desesperançada 'Nasci pra ser sozinho!'

Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis.

Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa.

Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé, brega.

Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí?

Seja ridículo, não seja frustrado, 'pague mico', saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso à dois.

Quem disse que ser adulto é ser ranzinza, um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele.

Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: 'vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida'.

Antes idiota que infeliz!

(Arnaldo Jabor)

26 Comments:

B. said...

Adorei o texto. Tudo isso é verdade. As pessoas se importam muito com trabalho ou com sua aparencia física e esquece do amor. =/

Vitor said...

O que fazer? Eu to sozinho, mas quero muioto alguém para mim...

Quer saber,

Antes ser idiota do que ser infeliz (com certeza)

As Antenadas said...

"Tornamo-nos máquinas"
.. pior qe isso é verdade ://


~~

bem inspirador o post :D

Marcos Costa Melo said...

Depende, tem muita gente que está sozinha por opção, essa escolha é muito natural nos dias de hoje.

O que estamos assistindo é uma permissividade muito grande desde a adolescência que, obviamente, enfraquece laços mais duradouros.

Marta said...

Realmente para encarar o amor, vc tem que perder a vergonha de parecer ridículo. Os apaixonados são assim! rsrs

Um abraço, Marta

http://martateixeira.spaces.live.com

Pat Coelho said...

Teu blog é convidativo, oportuno e muito bem sacado. Gostei de tudo. Nada em excesso, nada de menos.
O homenzinho além de barbado é inteligente :)
Inté.

Evandro said...

Perfeito.
Ja parei pra pensar nisso, nAo uso MSN, mas nAo abro mAo do Orkut.
Lembrei agora do um livro que li a pouco, O DOM SUPREMO, adaptado por Paulo Coelo, o livro dizia que o amor era o Dom Supremo, de nada valia riquezas, boas ações, até mesmo Fé se não ouvesse amor.

Fabíola Oliveira said...

Eu, simplesmente, amei o texto. Ele é o que há. Muito verdadeiro. É verdadade! O mau do século é a solidão. As pessoas estão, cada vez mais, enclausuradas em si mesmas.

Márcio Ribeiro said...

Concordo com você em tudo!

Eu mesmo, abri mão de um casamento para poder estudar e seguir carreira. Tudo por um futuro melhor e estável.

As vezes sinto que nos enchemos de conhecimento e alcançamos uma vida estável, mas mesmo assim, ainda falta alguma coisa...

http://comideiaseideais.blogspot.com



CONCURSO PARA BLOGUEIROS "GANHE UMA COLUNA", além da coluna você ganha 5.000 vizualizações de seu blog + 1 banner 120x60 em sua coluna. Acesse:
www.portodosul.com.br

Mo said...

Assinei embaixo todas as palavras desse texto. Infelizmente o amor já não é mais tão importante. :/

Bruno Melo said...

Concordo Plenamente!

texto sensacional!

Mostra com detalhes como o mal da solidão é mais comum hoje em dia!

bob.loco Ah ViDa Eh lOcA mAnO!!! said...

verdade
solidao eh terrivel

abraços

Cintia Pereira said...

Você disse tudo. Em nosso tempo, vivemos como máquina e nos esquecemos de sentir. Falo por mim, porque faço um esforço tão grande para agir com racionalidade que muitas vezes me esqueço que tenho sentimentos.

ciberdek said...

O cara estava inspirado.

Riso Certo said...

jabor é o cara!

Raphael Rickes said...

Realmente a solidão é o mau do século mas devemos isso ao medo de amr das pessoas. As mesmas q falam em amores eternos e tudo mais morrem de medo de se entregarem a uma paixão.
Quem sabe um dia evoluiremos e seremos tão puros e inocentes como os indios.
0/

Magazine ÓPe said...

O buraco é mais no fundo...

Alexandre said...

Vamos completar a frase: "Cada um de nós imerso em sua própria arrogância, esperando por um pouco de atenção". As pessoas tb adoram colocar a culpa disso tudo nas outras: "Ah, não existe homem q presta"; "mulher é tudo vagabunda" qdo na verdade o problema está nelas mesmas. Tenho uma amiga q adoro conversar com ela. Já fui afim dela mas hj desisti por causa de tanta frescura emedo q ela tem de se envolver. Aí eu sempre pergunto pra ela:" e aí, tá namorando?" Ela: "Tô não. Mas tô bem assim", qdo na verdade tá louca pra arrumar alguém e morrendo de medo de ficar sozinha...
É contraditório, e complicado. Coisas de um mundo moderno.
Ótimo texto cara
Abraço
http://falandoprasparedes.blogspot.com

nanaxinha_dk said...

adorei o bloggg

Rodrigo Souza said...

Embora eu e o Jabor nem sempre combinemos, ele mandou bem nesse texto. Imediatamente me lembrei de um trecho do longa de animação Waking Life de Robert Linklater. Deixo o link para você dar uma olhada. É bem interessante.

http://br.youtube.com/watch?v=Q0-hLzBoxTw

Abraço!

- - -
Post Scriptum: Embora no texto o orkut tenha uma certa conotação negativa por ajudar a mitigar a separação das pessoas, achei nele uma ferramenta muito útil de conhecer pessoas in loco que nunca conheceria de outra forma. A forma como as pessoas se relaciona tende a mudar conforme os produtos da Indústria Cultural avançam tecnologicamente. O que atrapalha a comunicação não é nem a tecnologia, mas o afastamento psicológico que as cidades acabam impondo a seus habitantes. Mesmo na maior metrópole há uma medo provinciano de mostrar sentimentos, o que é muito triste.

Gran Magic Carmesin said...

Nossa! Fiquei surpresa com o texto.

Como ele escreve de forma crua e envolvente!

Amei o post!

Anônimo said...

FAÇO MINHAS AS PALAVRAS DE VITOR...

Laracryss said...

adorei o texto,mas gostaria muito mais se vc entrasse em contato comigo o quanto antes...

NewBestFriend said...

ameeei! concor do td que vc colocou!

Natália Coelho said...

Concordo em tudo que disse!Amar ficou feio!
E olha eu nao queria,mas meu cora;'ao ta secando,eh soh tapada diferente que eu ando tomando,ninguem querendo nada serio,agt acaba se desligando desses sentimentos.
Mas eu ainda prefiro o bom e velho amor,do que essa coisa futil que esta tomando conta das pessoas.
(meu teclado estragou,sorry pelas faltas d acentos)

Karina said...

Ótimo o texto. Além de se importarem muito mais com trabalho, aparência e status, hj axo que virou moda viver uma vida virtual... Dia desses estava divulgando meu blog em algumas comunidades e em várias delas havia um fórum "Vamos criar uma família", se comentar os perfis fakes que são criados para impressionar outras pssoas,para ganhar confiança ou sei lá mais o que... Vlw pelo post!

Abraço

[www.bahtaloko.blogspot.com]

BlogBlogs.Com.Br