segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A Bunda



Recentemente vi uma declaração um tanto quanto curiosa do Sean Combs, rapper conhecido como P. Diddy, comentando em seu Twitter as suas conclusões em relação à bunda das Brasileiras: "Brasil! Bunda! Bunda! Bunda! Bundas redondas de primeira! Por todos os lados! É um tsunami de bundas! Acho que gostei daqui!"

E essa declaração me obrigou, a uma análise que jamais tinha feito: Eu nunca me relacionei com nenhuma mulher possuidora de uma bunda de maiores apreciações, se assim pode-se dizer. Nunca tive nenhum relacionamento amoroso com uma mulher que tivesse uma bunda grande e formosa.

Esse fascínio pela bunda começou com a chegada das caravelas de Cabral, onde os Portugueses perdiam a compostura ao ver o rebolado de alguma escrava negra com as ancas largas. E nos dias de hoje não é diferente.

A bunda exerce um poder descomunal dentre os homens, é algo enigmático quase que místico, basta um simples rebolado para que a mulher conquiste o homem por completo, basta a mulher ter conhecimento e saber fazer uso dessa arma de sedução, tão eficaz contra os machos que a natureza lhe deu.

Existem homens que não se separam de suas mulheres, não pelo fato de a amarem, mas sim pelo fato de não conseguirem viver sem tocar e apalpar a bunda saliente de suas respectivas mulheres é como um fascismo tolerável.

A bunda pode ser a salvação ou a perdição de um homem. E digo mais, não existe carência afetiva para a mulher que possui uma bunda grande, ou se tem não deixa transparecer de forma tão latente quanto às desbundadas.

Tenho uma amiga, por exemplo, que vive em função de sua bunda, afinal sua bunda é idolatrada pelos homens e motivo de inveja para muitas mulheres. Essa minha amiga, tem uma necessidade fora do comum de chamar a atenção para a sua bunda, muitas vezes rebola além do necessário, para chamar ainda mais atenção.

Geralmente os homens querem ter um contato maior com ela, não devido ao seu carisma, sua simpatia, seu conteúdo, mas sim para terem contato com sua bunda tão venerada. Os homens a vêem como um pedaço de carne e ela de certo modo adora se sentir como um pedaço de alcatra pendurada em um açougue.

Como sabiamente já disse o Arnaldo Jabor, a bunda muitas vezes torna-se a personalidade daquela pessoa, é uma característica que aquela pessoa possui, sem ela não é nada. E isso faz todo sentido, você já imaginou o que seria de Carla Perez, Mulher Melancia, Gretchen entre outras, se fossem desbundadas?

Particularmente sempre tive certa ressalva, certo distanciamento das mulheres de quadril avantajado, desde os tempos de escola. Sempre vi a bunda como um instrumento de dominação para os machos, sempre tive medo de mulheres com a bunda grande, sempre tive medo de ser dominado pela bunda, devido à imagem fascista que a bunda me provoca.
Apesar de ter essa visão esquerdista de um autêntico Marxista em relação à bunda, confesso que os glúteos arredondados e salientes da anatomia feminina, me seduz, me encanta, me estimula, me excita, me provoca indignação e ao mesmo tempo pensamentos de luxuria.

A bunda para mim é um enigma, um mistério que um dia pretendo decifrar, antes que a mesma me devore por completo.

7 Comments:

said...

"não existe carência afetiva para a mulher que possui uma bunda grande"
Vc esta enganado meu caro amigo e posso falar com 'larga' experiencia.
rs
Eu particulamente nao gosto de me sentir carne em açougue e a carencia afetiva surge aí: eles só querem a bunda como objeto material e nao emocional... quem ve bunda nao ve coraçao!!!
Bjs

30 e poucos anos. said...

Exatamente ... a bunda feminina parece uma varinha mágica que faz dos homens coelhinhos dentro de cartolas.
Eu particularmente sou apaixonado por uma boa e redonda bunda e não largo, não empresto e não vendo rsrsrsrs

Serenissima said...

Bunda... um paradoxo.
É ... tb me chocou e fez refletir essa declarção "poetica" desse rapaz.
Mas é isso.... temos os méritos que temos.

Marcelo said...

Às vezes, nós, homens, nos pegamos completamente hipnotizados pelo balançar de uma bunda redondinha. A imaginação passeia por terras e cenas tão distantes que seria impossível descrever com exatidão. Eu sou um apreciador pela estética da coisa em si.
Sim... há uma magia nessa parte da anatomia feminina... magia inexplicável.
Abs

Deni Maciel said...

éé a bunda faz suceessssooo
vi uma na Av. pauista q consegui até fotografar..mio dioooo. grandinha
redondinha
firme..
mas sempre reparo primeiro na parte do ombro..
no braço
no sorriso
nas coxas e a bunda vm de tabela
AOJsoIAJsoiaS
e o brasil é o país dos bundões [e todos os sentidos]
seja em brasilia ou na fazenda..
na camara dos deputados ou no palco do show da mulher melancolia...ops melancia...
passei aqui tbm pra agradecer suas passages lá pelo bokitta de lo kabizze [italiano é chik] em frances é mais ainda...bouquétê di Kabidêu [é q vc num viow minha pronuncia ainda]
mas enfim...desejar um lindo fim d ano e q 2010 seja bm melhor pra todos nós.
um grande abraço
ótimo fds e feliz dia do enfeite d arvore de natal de forma cilindrica que quebra fácil.
Fui...até 2010 ....

Aline Patrícia said...

Adorei o texto, o trato com um tema muitas vezes vulgarizado.
Quanto ao poder das bundas, é assim mesmo, a fraqueza dos homens está na carne... hehehehe
Ademais não posso comentar muito, não sou portadora de nenhuma exuberância glútea, mas não me diminuo por isso, Deus me agraciou com outros dotes xD

Beijoss

Anônimo said...

é mas tambem pode se ver um caralho com as bolas q rola grande nao ate parece a minha benga

BlogBlogs.Com.Br